Bem vindo à Starboard Portugal!

“Falhei uma Bóia, Perdi 2º Lugar”

20/11/2016

O velejador algarvio Miguel Martinho é o quarto melhor atleta de Formula Windsurfing no Mundo. O atleta do Clube Naval de Portimão concluiu o mundial absoluto na Praia da Vitória, Ilha Terceira, Açores, em 4º lugar na classificação geral, a um ponto do vice-campeão do mundo. “Falhei uma bóia e perdi o 2º lugar”, explicou o algarvio, ao Swell-Algarve.

 

Algarvio Miguel Martinho em ação no mundial absoluto nos Açores (®EricBellande/fwwc2016)

 

O Campeonato do Mundo Absoluto de Formula Windsurfing 2016 terminou ontem, sábado 19 de novembro. Não houve regatas validadas nos três últimos dias do campeonato, por falta de vento, pelo que os resultados se mantiveram iguais ao que já havíamos noticiado após o segundo dia da prova. Miguel Martinho fez 4º lugar, colado ao terceiro e ao segundo, e Margarida Gil Morais (CNPortimão), única mulher em prova, fez 20º lugar, o terceiro melhor resultado entre os oito portugueses em prova.

Francês Alexandre Cousin é o nove Campeão do Mundo Absoluto de Formula Windsurfing (®EriceBellande/fwwc2016)

Francês Alexandre Cousin é o nove Campeão do Mundo Absoluto de Formula Windsurfing (®EriceBellande/fwwc2016)

Miguel Martinho realizou o seu melhor mundial de sempre. Em 2015 tinha sido 17º, no mesmo campo de regatas. Este ano foi 4º classificado. “Eu esperava um lugar no top 10, mas nunca esperei no top 5”, confessou o velejador algarvio, ao Swell-Algarve. “No último dia (ontem) ainda fomos à água. Fizemos uma largada e eu andei a bolina toda em 3º, mas cancelaram na bóia de popa, por causa do vento”, disse o campeão nacional.

Miguel Martinho queria atacar o pódio, que falhou por um ponto. O algarvio perdeu esse ponto numa bóia, na última regata do campeonato, a terceira do segundo dia, na passada terça-feira. Martinho esteve toda a regata em 2º, mas virou cedo demais na última bóia e caiu para 4º. “Falhei uma bóia e perdi o 2º lugar”, o ‘título’ de vice-campeão do mundo, concluiu Miguel Martinho.

Mundial realizou-se na Baía da Praia da Vitória. Dois primeiros dias com regatas e os últimos três sem vento (®EriceBellande/fwwc2016)

Mundial realizou-se na Baía da Praia da Vitória. Dois primeiros dias com regatas e os últimos três sem vento (®EriceBellande/fwwc2016)

“Estou contente. Fiz uma boa prestação e consegui um resultado excelente”. Ainda por cima, acrescenta o velejador algarvio, as regatas realizadas decorreram com vento limpo, entre os 10 a 15 ‘nós’, pelo que o bom resultado não pode ser atribuído a uma condição de vento fraco que é mais favorável aos velejadores leves, como é o caso do algarvio. “Um especial obrigado ao Clube Naval da Praia da Vitória e especialmente ao Carlos Borges, pelo excelente evento que proporcionou”, concluiu Miguel Martinho.

Miguel Martinho tem 40 anos de idade e acaba de fechar a sua melhor época desportiva de sempre. O algarvio é multicampeão nacional de Formula Windsurfing, título que renovou este ano e aos quais juntou os títulos de Campeão Europeu Masters e Vice-Campeão do Mundo Masters.

Miguel Martinho no 1º lugar do pódio Masters, no Mundial, à frente de dois gigantes da modalidade (®EricBellande/fwwc2016)

Miguel Martinho no 1º lugar do pódio Masters, no Mundial, à frente de dois gigantes da modalidade (®EricBellande/fwwc2016)

No mundial absoluto que agora terminou, Miguel Martinho fez 4º lugar e subiu ao 1º lugar do pódio da categoria Masters, à frente do Campeão do Mundo Masters, o letão Janis Preiss (5º na geral) e do australiano Steve Allen, 9 vezes campeão do mundo FW, 6º classificado no campeonato deste ano.

Margarida Gil Morais realizou um bom mundial. A algarvia foi a única mulher e prova e terminou em 20º, a um ponto do 19º lugar, ocupado pelo italiano Roberto Pasquini. A algarvia fez o terceiro melhor resultado português – atrás de Miguel Martinho (4º) e do açoriano Mário ‘Sabão’ Medeiros (16º) – entre um total de oito portugueses em prova.

Margarida Gil Morais, a única mulher em prova (®EriceBellande/fwwc2016)

Margarida Gil Morais, a única mulher em prova (®EriceBellande/fwwc2016)

“Foi bom. Foi uma experiência positiva. Eles andam muito e ficar melhor era impossível”, disse Margarida Gil Morais, ao Swell-Algarve. A atleta algarvia diz que espera “andar mais na próxima época” e só lamenta que não hajam mais mulheres a competir em Formula Windsurfing.

 

Fonte: http://swell-algarve.com/2016/11/20/falhei-uma-boia-e-perdi-o-2o-lugar/

Author: Swell Algarve

« Voltar
© Developed by CommerceLab